terça-feira, fevereiro 13, 2007

Ficar doente em Angola

Hoje espero que seja o último dia que vou ficar em casa. Desde o sábado, quando acordei ruim, estou com uma febre e muitas dores no corpo, para me chatear ainda mais comecei a tossir ontem. Fui ao médico, é a primeira coisa a ser fazer aqui já que é preciso ficar atento aos casos de malária. Após um exame de urina e outro de sangue, o famoso “gota espessa”, o diagnóstico foi uma gripe. O alívio foi grande, malária seria bem pior, mas o gripe braba essa.

Muito raramente fico doente, mas dessa vez a virose me pegou de jeito. A dor no corpo é grande, dói um bocado por trás dos olhos. A febre vem e vai e com ela uma dor de cabeça que demora a passar. Para completar aqui em casa durante o dia fica-se mais tempo sem luz do que com ela. O calor está me matando. Estou tomando todos os remédios que o médico me receitou e amanhã eu não fico mas em casa por nada nesse mundo.

Nas raras vezes em que eu ficava doente, em Recife, a minha mãe me fazia muitos “dengos”. Esses dias em casa me fez pensar muito nela, gostaria muito que ela estivesse aqui. Ficar doente morando sozinho não é nada agradável, apesar de que Sérgio me dá uma força, mas não é a mesma coisa. Com certeza cada momento desses, longe, me faz repensar as minhas atitudes passadas e aprender a valorizar os momentos que daqui para frente eu venha a ter com minha família.

Mãe, estou com muita saudade da senhora, pena você não estar aqui. Te amo.

2 comentários:

Lyud disse...

Coisa mais linda....
Vc vai ficar bonzinho logo, viu?
E mainha fala o tempo todo em vc! Diz que o "bichinho" tá sozinho, sem ter quem faça dengo nele.... Mas a gente faz mesmo de longe, viu? Amamos vc e estamos morrendo de saudades! Bjo: Domi e cia ltda!

Valéria disse...

Fica bem logo tá?
Estamos aqui na torcida sempre!!!
bjo